sábado, 15 de dezembro de 2007

Aparências





eu gosto muito da idéia de ajeitar palavra ao colo. uma espécie de manha. temo que nunca caiba onde pensei, seria seu lugar. eu sempre a imagino antes, muito antes. sou bem simples dependendo do ângulo. ando bem na complexidade com que me visto demorando horas em fio. sou exigente com as formas e não adianta: não aprecio nada oculto. não me dou bem com o que vive de olhar para trás. sacudo poeira porque gosto do pó que a gente deixa. sinal certo sempre de que algo desintegrou-se para bem longe de si. ouço cuidadosamente, cada noite, toda lua alta, até ao mar que nunca é sereno e acredito no sol que doura a pele. sei de pessoas labirintos... e elas me constrangem porque estão sempre procurando uma ou outra saída. me cansa aquele que não cultiva o hábito de calar e fica a repetir-se. sim, eu bajulo mesmo o verbo que eu amo amar. não é que não perdoe, mas desisto sem culpas de amor egoísta. também tenho minha carência, mas ela não se ajusta nem se acomoda pela poesia como se palavra fosse assim, fuga - escape. eu não me limito, mas quando escrevo, eu só escrevo. e o que escrevo ou como escrevo não tem receita não descreve amores perfeitos nem cita falas alheias. eu invento. assim, cada dia é mesmo único, pessoal e em movimento.

12 comentários:

héber sales disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
héber sales disse...

ah essa manha de imaginar muito antes... isso ainda vai nos dar mais um monte de poesia porreta.
beijo meu.

Anônimo disse...

Transparente e colorido. Movimento bonito. Beijo da meninapoesia (Maria Cláudia).

Jacinta disse...

Olá,
Cheguei ao seu espaço através do Heber Sales. Nossa, que bonito isso "não me dou bem com o que vive de olhar para trás".
Gostei de cada cantinho desse lugar.

Jacinta

Jorge Fecuri disse...

Meu amor,
Estive por aqui neste dia de calmaria. Desacelero e baixo as expectativas. Para que o dia pare. Para que pare eu. E te ler ajuda. Sempre. Continua escrevendo, vai. To te lendo. Sempre. Sempre. Beijos. Jorge

Dira disse...

Meu amor, minha oração para 2008 é a de que no ano novo eu seja ao menos um fiozinho linda como vc.
te amo. (Dira)

Leila Lopes disse...

em movimento sempre,
e vc é infinitamente.
Bjs, querida.

Analuka disse...

Belo texto-tecido, vivo e pulsante, matizado de sonhos... Beijo alado, Val.

Tania disse...

Vim pelo caminho traçado em Diversos Afins e me encantei com os seus escritos. É lindo como você mima as palavras.

Parabéns pelo seu blog, não o perderei de vista.

Um abraço.

Analuka disse...

Saudades, Val alada!!! Hoje vi teu comentário lá no Diversos Afins, que fui visitar, e fiquei com vontade de vir te deixar um abraço-palavra, um beijo-palavra, um pouco de saudade escrita para alcançar tua alma azulada, querida...

Giz de Cera - Fruição e arte - Barbacena - MG disse...

estiquei até o meu blog seu poema...fiz um gato na beleza de suas palavras..rs.

aliny disse...

Nossa, tive a SORTE de encontrar seu blogger, por pura curiosidade da minha parte o q não me falta...Ms estou aqui na verdade pra te parabenizar, é incrivel como mesmo sem receitas vc cosegue usar tão bem as palavras, vc inventa muito bem, pouca gente escreve, só escreve, dever ser esse seu ssegredo.
Mais uma vez, parabéns, gostei muito de tudo.

Bjus!!