quarta-feira, 11 de março de 2009

da série "Coisas que se descobre nu"




quando começo a criar

qualquer objeto

alguma coisa

puro afeto


a parte boa de mim

renasce devagar


sem pressa de chorar

avisar que veio ao mundo


esquisito... né?

4 comentários:

paula cajaty disse...

Valéria,
acabo de ler seu poema na Diversos Afins, e preciso lhe dar meus parabéns por sua força poética!
Um beijo,
Paula

Val Freitas disse...

Obrigadíssimo, Paula! seja sempre bem vinda aqui também. :^)

Beta disse...

Valéria,

Li seu poema na Diversos Afins, admirada com sua profundidade e beleza. Tanto lá qto cá a impressão se confirmou, a força poética já descrita, e nesses versos em particular, puro lirismo sem solenidades, informal maneira de nos emocionar. Parabéns. Um abraço! :)

Val Freitas disse...

Beta, obrigado pela leitura atenciosa que só engrandece o rabisco. :) eu, fico é bem feliz sim. compartilhar é um verbo sensacional. beijos, volte mais!